AnteriorAnteriorSeguinteSeguinte
A Teoria de Dois Factores de Herzberg
Frederick Herzberg apresenta pela primeira vez as suas teorias sobre motivação no seu livro "A Motivação para trabalhar", realizado em conjunto com B. Mausner e B. Snyderman em 1959. Herzberg foi o primeiro a demonstrar que a satisfação e não satisfação no trabalho, quase sempre são geradas por diferentes factores, e não são reacções opostas aos mesmos factores, como se tinha acreditado.
  1. De acordo com Herzberg, o ser humano tem dois tipos de necessidades: uma, como animal, de evitar a dor, e a outra, como ser humano, de crescer psicologicamente. Ele demonstrou que as pessoas são influenciadas por dois factores:

    Factores de higiene (ou externos) - necessários para assegurar que um colaborador não fique insatisfeito. Não trazem um grande nível de motivação, mas sem eles, existe desmotivação.



    Factores motivacionais (ou internos) - necessários para motivar um colaborador a realizar a sua melhor performance. Estes factores são considerados internos porque resultam de motivações internas dos colaboradores.
  1. Herzberg ilustrou isso através de uma comparação de duas personágens bíblicas: Adão, depois da sua expulsão do Paraíso, enquanto necessitava de comida, calor, segurança, abrigo etc. (ou seja, precisava satisfazer as suas necessidades de "higiene") e Abraham, apto e realizando acontecimentos notáveis através do auto-desenvolvimento (satisfazendo as suas necessidades motivacionais).

  2. A sua investigação comprovou que as pessoas lutam para satisfazer as necessidades de "higiene", porque são infelizes sem elas, mas, uma vez realizadas, o efeito devanece-se rapidamente - a satisfação é temporária. Exemplos das necessidades de "higiene" em ambiente de trabalho são: política empresarial, relação com os superiores ou colegas, condições de trabalho, salário, carro da empresa, segurança, vida pessoal.
AnteriorAnteriorSeguinteSeguinte