Roteiro - Atividade D

Site: Plataforma e-learning do IEFP, IP
Curso: Competências Empreendedoras e Técnicas de Procura de Emprego
Livro: Roteiro - Atividade D
Impresso por: Visitante
Data: Sunday, 29 de January de 2023 às 06:29

Descrição

Roteiro - Atividade D


Actividade D – Construção de CV e apresentação de candidatura espontânea

Terminados os subtemas anteriores, já temos uma ideia clara sobre o que é o mercado de trabalho, que tipo de apoios ao emprego existe em Portugal, como e onde encontrar ofertas de emprego. Agora é necessário dar o passo seguinte, isto é, aprender como convencer um potencial empregador da nossa competência e utilidade!

Com este propósito em mente, o trabalho que se propõe nesta atividade, com uma duração total estimada de 4 horas e 50 minutos, integra quatro tarefas que proporcionarão não apenas a compreensão sobre a forma como se poderá adequar o Curriculum Vitae (CV) em função de diferentes contextos, perfis e experiências profissionais, mas também a aplicação prática dos conhecimentos adquiridos, que culminará com a apresentação de uma candidatura espontânea.

Tarefa D.1 – Análise das vantagens e desvantagens de diferentes modelos de CV

Propósito: o propósito desta tarefa é ampliar o conhecimento sobre as características de diferentes modelos de CV, nomeadamente os que se utilizam mais frequentemente, mediante análise das vantagens e desvantagens o que, por sua vez, promoverá a compreensão sobre a forma como se poderá adequar o CV em função de diferentes contextos, perfis e experiências profissionais.

Tempo de concretização previsto: 1 hora e 10 minutos

Orientações

  1. Por definição, o Curriculum Vitae (CV) é o resumo de todas as informações sobre uma pessoa, que são suscetíveis de interessar ao empregador, tais como os estudos, a experiência profissional, as informações pessoais e as referências. A organização e apresentação deste resumo deve ser feita da forma que parecer mais vantajosa para levar os empregadores a querer conhecer o/a candidato/a. Embora não exista um modelo de CV ideal, existem alguns modelos que podem servir de base para a elaboração de um CV personalizado e adaptado a cada caso. Para se inteirar dos modelos de CV mais comuns, comece por ler os seguintes quatros artigos disponíveis online:
  2. Depois de ler os textos acima indicados, faça o download da Ficha de Registo #3.D.1 – Vantagens e desvantagens de diferentes tipos de CV, disponível aqui, e guarde-a no seu computador. Ao gravar o ficheiro, não se esqueça de acrescentar o seu nome ao nome do ficheiro (ex.FR3.D.1_NomeApelido).
  3. Abra o ficheiro (ou imprima-o, se for mais fácil) e leia as instruções com calma para compreender as informações solicitadas.
  4. Volte a rever os textos previamente indicados e, com base neles, identifique e registe na ficha fornecida as vantagens e desvantagens de cada um dos quatro modelos de CV selecionados para análise (CV cronológico, CV funcional, CV Europass e CV vídeo).
  5. Depois de finalizar este exercício, envie a ficha para o seu formador através da área criada para o efeito em Entrega Ficha de Registo #3.D.1 – Vantagens e desvantagens de diferentes tipos de CV, certificando-se que o seu nome consta da designação do ficheiro.

Tarefa D.2 – Organização da documentação base para a elaboração do CV

Propósito: o propósito desta tarefa é promover o desenvolvimento de competências de organização das informações e da documentação de base para a elaboração de qualquer tipo de CV.

Tempo de concretização previsto: 1 hora e 20 minutos

Orientações

  1. Como vimos na tarefa anterior, existem diferentes maneiras de estruturar um CV. Dependendo da forma que escolher deve incluir umas secções ou outras, ou destacar mais do que uma competência ou, por vezes, omitir algumas! Nos modelos de currículo mais tradicionais e que ainda prevalecem, centrados na organização cronológica ou funcional do currículo, há um conjunto de elementos base a considerar na sua organização e elaboração. Para identificar esses elementos, comece por ler as orientações presentes no «Guia de Apoio à Procura de Emprego» do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP):
    • Elabore o seu currículo de acordo com as seguintes rubricas (pp.18-20), disponível aqui.
  2. Depois, crie um documento de texto e grave-o no seu computador com o título "cv_Nome".
  3. Com o documento aberto, comece por listar a designação de todas as rubricas para a elaboração do seu Currículo Vitae, de acordo com as orientações acima indicadas.
  4. Prossiga a tarefa, preenchendo cada rubrica com os seus dados pessoais e profissionais. Por exemplo, na rubrica Formação Escolar e Profissional deverá, entre outros aspetos, indicar as qualificações que possui, quer se trate de uma formação escolar ou profissional.
  5. Recolha todos os seus documentos/certificados de formação e habilitações e, se ainda não os tiver em formato digital, faça um scan desses documentos e guarde-os numa pasta no seu computador. Se não tiver um equipamento específico para digitalização de documentos, pode usar, por exemplo, umas das muitas aplicações gratuitas e disponíveis para usar em smartphones ou tablets, tal como o Genius Scan ou CamScanner.
  6. Depois, junte todos os documentos no seu computador numa pasta única com o título . Note que esta pasta pode ser a sua “base de dados” para todos os modelos de CV que vier a elaborar.
  7. Por fim, zipe a pasta criada e envie-a para o seu formador através da área criada para o efeito em Entrega de Trabalho #3.D.2 – Documentação base para construção do CV

Tarefa D.3 – Criação de um CV Europass

Propósito: o propósito desta tarefa é promover a aplicação das regras de elaboração de um CV, tirando partindo de modelos e ferramentas digitais específicas para a criação de um CV Europass.

Tempo de concretização previsto: 60 minutos

Orientações

  1. Embora o modelo CV Europass possa, em alguns casos, dificultar a inclusão de informações personalizadas face à função a que se candidata, o certo é que é um modelo que continua a ser solicitado de forma explícita em vários casos de candidaturas a empregos, sendo ainda o mais utilizado para candidaturas noutro país da União Europeia. Para conhecer os objetivos do Europass, assim como a diversidade de ferramentas existentes para apoiar a apresentação das suas qualificações e competências de forma clara e facilmente compreensível na Europa, comece por dedicar algum tempo à exploração do respetivo portal (https://europass.cedefop.europa.eu/pt)
  2. Depois dessa exploração prévia, crie o seu CV Europass, escolhendo uma das seguintes opções:
    1. Utilizar o editor em linha Europass
    2. A utilização do editor em linha Europass é gratuita e não requer qualquer tipo de inscrição, mas implica estar ligado à Internet. Pode aceder a esta aplicação através do Portal Europass (https://europass.cedefop.europa.eu/pt) ou, de forma mais direta, clicando aqui.

      Depois de aceder à aplicação, encontrará cinco áreas essenciais para preenchimento, mas todas elas opcionais, permitindo que adapte o seu CV em função do posto a que se candidata.

      Encontrará ainda, no lado direito do ambiente de trabalho desta aplicação, um conjunto de , que lhe permitirão:

      • adicionar uma <Fotografia> (fazendo o upload de um ficheiro .PNG ou .JPG, com um máximo de 1MB);
      • listar <Outras competências> que possui e que considere relevantes para o posto de trabalho que pretende;
      • indicar a(s) categoria(s) da sua <Carta de Condução> caso lhe seja solicitada essa informação;
      • adicionar <Informação adicional> relevante para a sua candidatura (por exemplo, participação em projetos, filiações, etc.);
      • incluir <Anexos>, fazendo o upload de dos documentos comprovativos que lhe forem solicitados.

      Depois de familiarizado com o ambiente e com as funcionalidades desta aplicação, preencha os campos predefinidos para a elaboração do CV utilizando a informação que previamente listou no documento elaborado na tarefa anterior (Tarefa D.2). Tenha em consideração que todos os campos predefinidos são opcionais, pelo que os que não forem preenchidos serão automaticamente removidos.

      Finalizada a edição online do CV, descarregue o ficheiro criado, selecionando o formato que lhe pareça mais adequado, assim como o local para onde pretende exportar o ficheiro (computador, e-mail, Dropbox, Google Drive, OneDrive).

      Nota 1: somente os ficheiros no formato “Adobe® XML Europass PDF + Europass XML” podem ser importados e atualizados online, numa fase posterior, no editor Europass, pelo que esta será a opção mais indicada para proceder posteriormente à atualização do CV.

      Nota 2: como irá verificar, no editor em linha Europass também poderá redigir uma carta de motivação, que deve acompanhar o CV sempre que solicitado pelo empregador ou nos processos de candidatura espontânea (neste último caso é mais frequente o uso do termo «carta de apresentação» - como vermos na próxima atividade). Eis a apresentação do ambiente do editor em linha da carta de motivação:

    3. Utilizar o modelo Europass
    4. Seguindo esta opção, deve começar por fazer o download do «CV_template», disponível no portal Europass aqui, escolhendo o formato que lhe for mais conveniente (Word ou OpenDocument). Depois, guarde o ficheiro no disco rígido do seu computador.

      Entretanto, e antes de iniciar a edição do seu CV Europass, consulte as instruções para o seu preenchimento, igualmente disponíveis no portal Europass aqui.

      Depois abra o ficheiro «CV_template» e prossiga com o preenchimento das várias rubricas, escrevendo os seus dados pessoais na coluna da direita. Neste processo de edição deve respeitar a paginação do modelo, bem com o tipo de letra utilizado.

  3. Quando tiver finalizado a edição do seu CV, envie o ficheiro em formato .PDF através da área criada para o efeito em Entrega do Trabalho #3.D.3 -  CV Europass.

Tarefa D.4 - Apresentação de uma candidatura espontânea

Propósito: o propósito desta tarefa é contribuir para o reconhecimento da importância da candidatura espontânea na procura de emprego, proporcionando a oportunidade de aprofundar e aplicar conhecimentos e técnicas que potencializam a eficácia do envio de candidaturas a empregos de forma espontânea.

Tempo de concretização previsto: 1 hora e 20 minutos

Orientações

  1. Para saber qual a importância da candidatura espontânea e como se preparar adequadamente para colocar esta estratégia em ação, comece por ler o texto «A Candidatura Espontânea» (pp.41-51), que faz parte do «Guia de Apoio à Procura de Emprego» do IEFP. Para aceder ao referido texto, clique aqui.
  2. Depois, considerando os seus objetivos de emprego e o seu perfil profissional, faça uma pesquisa de empresas nas quais identifica boas oportunidades de trabalho e com perspetivas de evolução profissional para si. Não restrinja a sua pesquisa a possibilidades de trabalho em grandes empresas. Lembre-se que nas empresas mais pequenas também pode vislumbrar boas oportunidades e perspetivas de evolução!
  3. Para que essa pesquisa seja feita de forma organizada, crie um “banco de dados”, utilizando uma folha de cálculo ou outro programa similar. Defina um conjunto de categorias que considera importantes para orientar a recolha de dados como, por exemplo, «nome da empresa», «morada», «website», «mail», «pessoa a contactar», etc.
  4. Prossiga a pesquisa, recolhendo e registando toda a informação que conseguir sobre as empresas por si selecionadas, prestando particular atenção à sua área de negócio, às possibilidades de expansão ou necessidades que a empresa possa ter, assim como à existência de métodos de recrutamento próprios. A ideia é reunir o máximo de informação, descobrir os interesses centrais das empresas para mostrar o seu valor e o que faz de si o candidato ideal.
  5. Depois de ter encontrado pelo menos cinco empresas, escolha uma para a qual gostaria de enviar a sua candidatura espontânea
  6. Verifique se o CV Europass criado na tarefa anterior é o modelo mais adequado para mostrar o seu valor e, caso não seja adequado, elabore um novo CV, adaptando-o à luz da função que gostaria de desempenhar na empresa selecionada no passo anterior.
  7. Elabore uma boa carta de candidatura espontânea (também chamada de carta de apresentação), apresentando de forma clara e concisa a sua mais-valia para a empresa. Se necessário, reveja as orientações para a redação desta carta, disponibilizadas no texto de leitura indicado no primeiro passo desta tarefa. Se optar pelo CV Europass criado na tarefa anterior (Tarefa D.3), lembre-se que poderá utilizar o editor em linha da carta de motivação para criar a sua carta de candidatura.
  8. Crie uma pasta no seu computador com a designação desta tarefa e o seu nome (ex. Tarefa3.D.3_NomeApelido) e nela junte toda a documentação solicitada nos passos anteriores, nomeadamente o “banco de dados”, o CV e a carta de candidatura espontânea.
  9. Zipe a pasta criada e envie o arquivo comprimido ao seu formador através da área criada para o efeito em Entrega do Trabalho #3.D.4 – Apresentação de uma candidatura espontânea.